10 filmes vistos sob a ótica de crianças - InC | Instituto de Cinema | Cursos de Cinema e Atuação

Instituto de Cinema de SP

10 filmes vistos sob a ótica de crianças

Há tempos vemos produções audiovisuais com crianças como protagonistas ou ao menos com papéis importantes para a história. Filmes clássicos como Os Incompreendidos (1959), Os Goonies (1985), Esqueceram de Mim (1990), Os Batutinhas (1994), O Profissional (1994), O Sexto Sentido (1999), a saga histórica Harry Potter e outras tantas já nos provaram o quanto os pequenos têm talento na hora de ir para a frente das câmeras. 


Acompanhá-los tirando as histórias do roteiro e levando para a tela é sempre interessante. Seja nos papéis de maior protagonismo ou não, filmes e séries que trabalham com a narrativa pela ótica das crianças têm sempre algo grandioso para oferecer. Essa lista destinada a enaltecer grandes filmes com grandes atuações, e aqui vamos nos concentrar em filmes um pouco mais atuais, sobretudo dos anos 2000. 


10 filmes protagozinados por crianças


Pequena Miss Sunshine (2006)


Pequena Miss Sunshine foi um dos filmes de maior sucesso em seu ano, agradando tanto a crítica, quanto o público. O filme conta a história de uma família excêntrica que cai na estrada para uma viagem rumo a um campeonato de beleza que Olive, a desajeitada caçula da família, participará. 


Acompanhamos um roteiro cheio de emoções, com cada personagem tendo sua própria peculiaridade: o irmão mais velho fez voto de silêncio, o pai criou um método de autoajuda que não faz muito sucesso e o avô foi expulso de uma casa de repouso por uso de heroína. Eles embarcam numa viagem de 3 dias na emblemática kombi amarela, onde deixam as diferenças de lado e passam por diversas situações. 


Olive, que é interpretada por Abigail Breslin, acabou por se tornar uma personagem extremamente querida pelo público. A temática abordada pelo filme nos traz reflexões importantes, e com a atuação de Abigail, não tem como não se emocionar e apaixonar por Olive, que é com certeza uma das melhores partes do filme. Com apenas 10 anos, Abigail se tornou uma das mais jovens atrizes a serem indicadas ao um Oscar, quando concorreu pela categoria de Melhor Atriz Coadjuvante. 


Onde Vivem os Monstros (2009)


O filme, baseado na obra de literatura infantil de Maurice Sendak, traz a nós reflexões complexas, e apesar de ser visto muitas vezes como um filme infantil, adultos assistem e sentem a profundidade das questões. O personagem de Max, interpretado por Max Records, fica de castigo após atormentar a mãe por conta de seu namorado. 


Max resolve fugir de casa e com sua imaginação cria uma misteriosa ilha, cheia de monstros, na qual é nomeado Rei. Com atmosfera poética, o filme é carregado de simbologias acerca de questões com grande carga psicológica. E tudo isso é refletido na tela pela atuação incrível de Max Records, que acompanha a poesia do filme enquanto embarca numa aventura com os monstros de sua ilha imaginária. 


A Invenção de Hugo Cabret (2011)


Uma grande homenagem ao cinema, feita por um dos diretores mais apaixonados pela sétima arte, o filme que é uma adaptação do livro - de mesmo nome - e tem toda a perspectiva de Hugo. Após a morte do pai, o garoto passa a viver pelas paredes da estação Gare du Nord em Paris, onde é responsável por cuidar dos relógios. 


A lembrança física que tem do pai é uma espécie de robô que opera de maneira automática e parecia guardar um segredo em suas engrenagens. Infelizmente o pai de Hugo morreu antes de conseguir terminar seu conserto, e com isso Hugo passa a tentar arrumar o autômato. É nessa missão que acaba se envolvendo em confusões e conhecendo uma grande amiga, Isabelle. 


O longa, que tem direção de Martin Scorsese e faz uma grande homenagem a Mélies - o pioneiro do cinema de fantasia - é protagonizado por dois promissores atores: Asa Butterfield, que esteve na recente Sex Education da Netflix; e Chloe Moretz, atriz conhecida por sua atuação em diversos papéis. O filme é liderado pelas crianças e faz uma alusão incrível a uma idade não muito explorada do cinema.


Super 8 (2011)


Naquela linha de filmes com um grupo de crianças que acaba se metendo em uma confusão e precisa resolver tudo, Super 8 é um dos  mais incríveis. O elenco traz Joel Courtney, Gabriel Basso, Zach Mills, Ryan Lee e  Riley Griffiths, divertidos e talentosos; e uma das atrizes que mais segue em ascensão hoje em dia, Elle Fanning. 


O filme conta a história desse grupo que é composto pelos “losers” da escola e vivem juntos. Joe, que é o principal, tem um relacionamento complicado com o pai após a morte da sua mãe. Fãs de cinema, o grupo decide participar de uma competição para jovens cineastas. Ao rodar o filme numa madrugada, observam algo estranho acontecer. 


Quando uma caminhonete perde o controle e se choca com um trem, causando um grande descarrilamento. O local é cercado pelo exército, que procura algo em meio aos vagões. Seguido disso, desaparecimentos começam a acontecer na pequena cidade, causando pânico e preocupação nos moradores. O filme é interessante, e faz o público rir, se assustar, ficar tenso e até chorar, além de o elenco que o lidera funcionar muito bem junto. 


Infância Clandestina (2012)


O drama argentino carrega um peso enorme. Passado na época da ditadura no país, o longa conta a história de Juan, um menino dividido entre a militância dos pais e a identidade que assume quando tenta escapar dos perigos que enfrenta. Como Ernesto, vai para a escola, faz amigos e vive todo o processo de descoberta que vive um pré-adolescente, inclusive uma paixão.  


O filme tem uma estética extremamente agradável e é um drama poderoso. Tudo isso fica ainda mais evidente com a atuação de Teo Gutiérrez Romero, que consegue carregar o peso de uma história de ditadura na infância. 


Tomboy (2012)


A gente adora ver criança fazendo um papel pesado, né? Nesse longa francês nós conhecemos Laure, uma menina de 10 anos que tem comportamento masculino. Ela vive com a mãe gestante, o pai atencioso que trabalha demais e a irmã mais nova, que é a doçura em forma de gente. 


Ao se mudarem para um novo condomínio em uma nova cidade, o que aparentemente não deixa Laure confortável. Quando decide sair do apartamento para conhecer novas pessoas, Laure acaba encontrando Lisa, para quem se apresenta como Mickael. É nesse momento que a chave vira e a trama ganha força. 


Laure trabalha para esconder a verdade dos amigos, e tudo isso gera um debate de forma muito poética sobre gênero e sexualidade, pela vivência de uma criança de 10 anos. A atuação de todas as crianças é notável, com destaque a Laure, interpretada por Zoé Héran, e sua irmã Jeanne, feita por Malon Levana. 


O quarto de Jackie (2015)


Joy e seu filho Jack vivem isolados em um quarto. O único contato que ambos têm com o mundo exterior é a visita periódica do Velho Nick, o homem que os mantém em cativeiro. Joy faz o possível para tornar suportável a vida no local, mas quando seu filho completa cinco anos, ela decide elaborar um plano para fugir. Com a ajuda de Jack, ela tenta enganar Nick para retornar à realidade e apresentar um novo mundo a seu filho.


O filme que lançou a Hollywood um dos atores mirins mais amados atualmente: Jacob Tremblay. O drama visto pelo olhar infantil do personagem de Jacob se torna ainda mais agonizante. A relação de Jack com o lugar onde estão confinados, o que ele reconhece como seu mundo, faz com que o sofrimento que os assistimos passar se torne ainda poderoso. Isso tudo graças a uma atuação impressionante de Jacob, em conjunto com Brie Larson. 


It a coisa (2017)


O filme que traz para as telas - mais uma vez - a história de Stephen King é liderado por um maravilhoso elenco de criança. Formando o conhecido grupo de crianças “losers”, os amigos se unem para investigar o misterioso desaparecimento de vários jovens em sua cidade. Eles descobrem que o culpado é Pennywise, um palhaço cruel que se alimenta de seus medos e cuja violência teve origem há vários séculos. O destaque está no elenco infantil, protagonizado por Jaeden Lieberher, Jeremy Ray Taylor, Sophia Lillis, Finn Wolfhard, Wyatt Oleff, Chosen Jacobs, Jack Dylan Grazer que é capaz de nos fazer sentir medo, tensão, emoção e ainda dar risada. 


Projeto Flórida (2017)


Mesmo com um drama adulto acontecendo, Projeto Flórida trabalha com a visão da personagem maravilhosamente interpretada por Brooklynn Prince. Moone tem 6 anos e vive com sua mãe numa hospedagem de beira de estrada, a qual mal conseguem pagar. Em seus dias, brinca com seus amigos, e com sua inocência não percebe toda a dificuldade que passa ao lado de sua mãe, Halley. 


O filme colorido, com cores altamente saturadas, nos faz perceber que ali, apesar de toda a escuridão dos problemas pelos quais passam, quem estamos acompanhando mais de pertinho é Moonee. Por isso o roxo do edifício é tão roxo. O rosa é tão rosa. O azul é tão azul. 


A atuação de todas as crianças, que ainda conta com Valeria Cotto e Aiden Malik - que interpretam os amigos de Moonee, tornam o filme emocionante por uma perspectiva que muitas vezes não está ao nosso alcance. Destaque para Brooklyn Prince, que interpreta Moonee de forma impressionante. 


Turma da Mônica: Laços (2019)


Não tem como acabar essa lista sem enaltecer uma produção nacional, não é? O filme mais recente de Daniel Rezende traz para as telonas, em live-action, a criação de Maurício de Souza. 


Turma da Mônica: Laços é baseado na HQ de Vitor e Lu Cafaggi, e acompanha a turma de Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão à procura do Floquinho. O filme agrada o público antigo, que já está familiarizado com as revistas, mas também os mais novos. 


O elenco mirim interpretado por Giulia Benite, Kevin Vechiatto, Laura Rauseo e Gabriel Moreira torna a experiência de ver um clássico na tela ainda melhor.


Agora que você tem toda uma lista com filmes protagonizados por crianças incríveis, chama xs amigxs, crush, pai, mãe, tia ou quem quer que seja e vamos enaltecer essas atuações!


Por Mariana R. Marques

voltar