Bárbara Paz vence importante prêmio de cinema em Festival de Veneza pela direção de "Babenco, alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou" - InC | Instituto de Cinema | Cursos de Cinema e Atuação

Instituto de Cinema de SP

Bárbara Paz vence importante prêmio de cinema em Festival de Veneza pela direção de "Babenco, alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou"

No último sábado (7), tivemos uma vitória para o audiovisual brasileiro no Festival de Veneza, um dos mais reconhecidos no mundo do cinema. Bárbara Paz é a grande responsável por esse feito. A vitória veio por sua direção no documentário Babenco, alguém tem que ouvir o coração e dizer: Parou.


É sempre indispensável enaltecer um reconhecimento desses no atual momento que vive o cinema brasileiro - e a cultura, no geral. Nos mostra quão longe podemos chegar com a sétima arte, que não passamos despercebidos e que nossos feitos importam. 


No 76º Festival Internacional do Cinema de Veneza, Bárbara conquistou o Prêmio da Crítica Independente e o troféu de Melhor Documentário. A direção é por sua conta, mas está também como produtora ao lado de Myra Babenco e os irmãos Gullane. 


O longa traz a história de Hector Babenco, importante diretor que nasceu na Argentina e em 1977 naturalizou-se brasileiro. Um dos maiores filmes nacionais de todos os tempos, Pixote: A Lei do Mais Fraco (1980), é uma de suas realizações; em sua filmografia ainda encontramos O Beijo da Mulher Aranha (1985), que chegou ao Oscar, e Carandiru (2003). 


Bárbara, que foi casada com Babenco, traz registros dos últimos momentos do diretor, em hospitais e bastidores de seus filmes. A diretora buscou retratar no filme o homem que estava por trás de todas aquelas maravilhosas criações. A obra sempre estava em evidência, mas quem era a mente que tornava tudo aquilo possível?


E foi assim que a atriz e diretora conquistou um prêmio tão importante. Importante para sua carreira, importante para seu país. Ao receber o troféu, Bárbara se posicionou sobre as atuais atitudes do governo diante do audiovisual e toda a cultura: “Este prêmio é muito importante para o meu país. Precisamos dizer não à censura: vida longa à liberdade de expressão!".


Bárbara levou o prêmio em melhor documentário sobre cinema. Uma mulher que enaltece a vida e obra de Hector Babenco, grande cineasta que rendeu ao Brasil filmes importantíssimos. Em 2019, ano em que o cinema brasileiro tem de resistir cada vez mais, isso é uma vitória que deve ser ainda mais comemorada. Parabéns, Bárbara. E obrigada!


Por Mariana R. Marques

voltar