Instituto de Cinema de SP

Mulheres no Cinema: Ava DuVernay

Ava Marie DuVernay é uma diretora, roteirista, produtora e distribuidora de filmes norte americana. Nascida em 1972 na Califórnia, ficou conhecida por seu trabalho em diversos longas, principalmente Middle of Nowhere e Selma. Antes de se tornar a grande cineasta que conhecemos hoje, Ava se formou em inglês e estudos afro-americanos e chegou, inclusive, a abrir a própria agência de publicidade, chamada Agência DuVernay.


Ela iniciou sua carreira no cinema em 2006 com o curta Saturday Night Life e os documentários This is the Life (2008) e My Mic Sounds Nice: The Truth About Women in Hip-Hop (2010), ambos sobre o universo da música hip-hop pelo qual sempre teve interesse. Ainda em 2010, também lançou o drama I Will Follow, inspirado na história de sua própria tia, chamando a atenção do renomado crítico Roger Ebert.


Em 2012, foi a primeira mulher negra a ganhar o prêmio de Melhor Direção no Festival Sundance de Cinema pelo trabalho em seu segundo longa-metragem, Middle of Nowhere. Após ter recebido esse prêmio, Ava recebeu uma ligação de Shonda Rhimes, a convidando para dirigir um episódio de Scandal, que se tornou o primeiro drama estrelado por uma mulher negra (Kerry Washington), criado por uma mulher negra (Shonda Rhimes) e dirigido por uma mulher negra (Ava DuVernay) em mais de 30 anos na história da televisão. Poucos anos mais tarde, também se tornou a primeira diretora negra a ser nomeada para um Globo de Ouro, bem como para o Oscar de Melhor Filme, ambos por seu trabalho em Selma (2014).


Apesar de ser conhecida por ter se tornado a primeira mulher negra no audiovisual a alcançar patamares e visibilidade até então dominados pelos padrões estabelecidos majoritariamente por homens brancos, a diretora faz questão de reforçar que não será a última. Para tanto, aproveita toda e qualquer oportunidade que possui para ajudar a alavancar carreiras de mulheres e pessoas negras no audiovisual. O melhor exemplo deste trabalho é o fato de ter contratado 34 diretoras mulheres para trabalhar no seriado Queen Sugar, que estreou em 2016 e se tornou a primeira série na história a ter todos os episódios dirigidos por mulheres.


Confira abaixo algumas das obras mais marcantes de sua carreira!


Olhos que condenam (2019)


Esta minissérie criada por DuVernay é baseada na história real e famoso caso dos Cinco do Central Park, no qual cinco jovens negros foram condenados por um crime que não cometeram em 1989. Apenas em 2002, com a confissão pelo real criminoso é que os cinco, já adultos, foram absolvidos e, em 2016, indenizados pelo Estado de Nova York. A minissérie está disponível na Netflix.


Queen Sugar (2016)


A série que hoje já está na sua 4ª temporada acompanha a história dos irmãos Nova Bordelon (Rutina Wesley), Charley Bordelon West (Dawn-Lyen Gardner) e Ralph Angel Bordelon (Kofi Siriboe). Quando os três herdam do pai uma fazenda de 800 acres de cana-de-açúcar, Charley se muda para o interior do Louisiana com o filho adolescente Micah (Nicholas L. Ashe) para cuidar da herança. 


Criada por Ava DuVernay, Queen Sugar conta com Oprah Winfrey como uma das produtoras executivas, além de ser a primeira série a ter todos os episódios dirigidos por mulheres.


A 13ª Emenda (2016)


Nesta obra documental, acompanhamos estudiosos, ativistas e políticos enquanto analisam a relação entre a criminalização da população negra dos Estados Unidos e o boom do sistema prisional. O filme estreou no New York Film Festival e foi o primeiro documentário a abrir o festival. Também disponível na Netflix.


Selma (2015)


Baseado nas marchas de Selma, Alabama, uma série de manifestações pelos direitos civis da população negra dos Estados Unidos em 1965, o longa metragem retrata a história de Martin Luther King Jr. na luta pelo direito de voto das pessoas negras no país. Em 2015 foi comemorado o aniversário de 50 anos deste momento histórico no qual, em consequência da marcha e apoio da opinião pública, o presidente Johnson implementou a Lei dos Direitos de Voto em 1965.


Com esta obra, Ava DuVernay se tornou a primeira diretora negra a ter seu longa indicado para o Oscar de Melhor Filme.


Middle of Nowhere (2012)


O filme vencedor do prêmio de Melhor Direção do Festival de Sundance em 2012 conta a história de Ruby, uma estudante de medicina que abandona os estudos quando seu marido é condenado a oito anos de prisão. A jovem, então, passa a se dedicar e garantir o bem-estar de seu companheiro na cadeia.


I Will Follow (2010)


Dirigido e roteirizado por DuVernay, seu longa de estreia traz a história de Maye (Salli Richardson-Whitfield), uma jovem tentando lidar com o luto da perda de sua tia em decorrência de um câncer.


 


 


Por Ana Clara P.S.M.O.

voltar