Instituto de Cinema de SP

Profissionais do Cinema: Dubladores

A dublagem, termo originado do francês “doublage”, é uma técnica usada em obras audiovisuais, onde a voz original da produção é substituída, normalmente, por uma interpretação em outro idioma. Ou, outra ocasião onde a dublagem pode ser utilizada, é quando o som é substituído pela voz do mesmo ator, a fim de reproduzir novamente suas falas, de forma que elas fiquem mais claras e com uma melhor qualidade. Isso normalmente acontece em cenas que, por exemplo, o personagem está correndo ou lutando e sua fala ofegante ou mal captada.


Esse trabalho é feito em estúdios de dublagem, onde o profissional de dublagem dá início ao processo de substituição de voz juntamente com técnicos de som e outros profissionais.


A técnica de dublagem, portanto, se trata de um elemento cinematográfico imprescindível para quase todas as produções, sejam elas animações ou live action. Na história do cinema, um elemento que mudou o cenário dos filmes foi a chegada do som, em 1925. Porém, foi somente no ano de 1927, com o filme The Jazz Singer que a técnica começou a ser utilizada. O primeiro filme inteiramente dublado foi o longa Luzes de Nova York lançado em 1929. O filme, dirigido por Bryan Foy, é considerado até hoje um marco no desenvolvimento da linguagem do cinema.


A chegada do som ao cinema mudou totalmente a maneira de se produzir um filme. Agora, os personagens possuíam falas realmente audíveis, que antes representadas por cartelas, traduzidas para diferentes idiomas, conforme a distribuição para inúmeros países ao redor do mundo.


No ano de 1930, o diretor Jacob Karol criou um sistema de gravação revolucionário, que permitia fazer a sincronia do áudio com a imagem. A partir do uso de tal equipamento, o termo dublagem foi oficialmente adotado. Com tal mudança nas produções, a qualidade sonora foi aprimorada, assim como a aparelhagem de captura de áudio, que passou a ser vista como elemento de extrema importância.


No Brasil, a dublagem se deu inicialmente nas produções de desenhos animados, o que fez as gerações mais novas se acostumarem com o modelo de filmes repletos de falas. Em 1938, no Rio de Janeiro, as dublagens começaram nos estúdios da CineLab, em São Cristóvão. O filme que iniciou as gravações foi Branca de Neve e os Sete Anões, que teve acompanhamento direto dos profissionais da Walt Disney Studios. As produções que deram seguimento às gravações foram as animações, também dos estúdios Disney, Pinóquio (1940), Dumbo (1941) e Bambi (1942).


Com o crescimento da dublagem, houve também a popularização da profissão, que atualmente conta com um mercado gigantesco. Isso porque, além de ser utilizada no cinema, a dublagem é uma técnica recorrente também em séries, desenhos animados, documentários, jogos de videogame, animações, entre outras diversas plataformas audiovisuais, que fazem uso da dublagem para dar personalidade e compor seus personagens.


Portanto, a qualidade das dublagens está sempre em uma crescente, tanto na parte dos equipamentos, quanto na área da voz. Esta última, que passou a envolver muito da interpretação do ator de voz, exigindo cada vez mais regulamentações. Na legislação brasileira, a dublagem já é regulamentada e demanda um registro profissional de ator* (DRT) para efetuar o trabalho.


Hoje, com o avanço e as especificações da área, não basta apenas ter uma voz bonita e versátil. Para ser um dublador, também é necessário saber atuar. Um dos requisitos básicos para ingressar nessa profissão é cursar Artes Cênicas. Além disso, existem também cursos focados na formação de dubladores. Algumas características de um bom dublador são: voz adaptável; leitura dinâmica; facilidade de improviso e boa memória para decorar textos.


Além de tudo isso, o profissional de dublagem precisa pensar em seu público quando está interpretando, a fim de adaptar a linguagem e referências de maneira a facilitar a compreensão e divertir seus espectadores.


Durante o ano de 2020, em decorrência da pandemia do coronavírus, assistimos a uma paralisação de diversos setores da indústria audiovisual mundial, incluindo os estúdios de dublagem. Dessa forma, para preservar a saúde dos dubladores e demais profissionais envolvidos, diversos filmes e principalmente séries de streaming foram lançadas apenas com o áudio original. Esse fato chamou a atenção para a importância da dublagem para os espectadores no Brasil e ao redor do mundo e, por consequência, a constante desvalorização desse trabalho, que dificilmente recebe o devido reconhecimento. 


 


* O registro profissional é expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Mas pode também ser solicitado pelo SATED regional (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversões), que emite um documento de capacitação profissional nomeado DRT. Para o registro no Ministério do Trabalho e Emprego, são necessários diploma ou certificados de conclusão de curso profissionalizante (técnico ou superior) reconhecido pelo MEC, ou o atestado de capacitação do sindicato.

 


Por Pedro Dourado.

voltar