Instituto de Cinema de SP

Seleção de filmes Festival de Veneza

Na manhã do dia 28, o Festival de Veneza anunciou a programação de sua 77ª edição. A cerimônia, que acontecerá no começo de setembro, será o primeiro grande evento internacional de cinema a realizar uma edição física após a crise do coronavírus. A programação será reduzida, com "características únicas", segundo a organização, que ainda não deu detalhes sobre as mudanças preparadas para a edição.


Entre os filmes anunciados, tem destaque o documentário Narciso em Férias, sobre a prisão do cantor Caetano Veloso durante a ditadura militar no Brasil. Dirigido por Renato Terra (Uma noite em 67) e Ricardo Calil (Cine Marrocos), o documentário tem o relato de Caetano sobre os 54 dias que passou na prisão com revelações inéditas. Ele será exibido em uma mostra fora da competição pelo Leão de Ouro, principal premiação do evento, e é o único filme brasileiro na programação deste ano.


Confira abaixo a lista completa de filmes selecionados para participar do festival:


COMPETIÇÃO


“In Between Dying,” de Hilal Baydarov (Azerbaijão, U.S.)


“Le Sorelle Macaluso,” de Emma Dante (Itália)


“The World to Come,” de Mona Fastvold (EUA)


“Nuevo Orden,” de Michel Franco (México, França)


“Lovers,” de Nicole Garcia (França)


“Laila in Haifa,” de Amos Gitai (Israel, França)


“Dear Comrades,” de Andrei Konchalovsky (Rússia)


“Wife of a Spy,” de Kiyoshi Kurosawa (Japão)


“Sun Children,”de Majid Majidi (Irã)


“Pieces of a Woman,” de Kornel Mundruczo (Canadá, Hungria)


“Miss Marx,” de Susanna Nicchiarelli (Italia, Bélgica)


“Padrenostro,” de Claudio Noce (Itália)


“Never Gonna Snow Again,” de Malgorzata Szumowska e Michal Englert (Polônia, Alemanha)


“The Disciple,” de Chaitanya Tamhane (Índia)


“And Tomorrow The Entire World,” de Julia Von Heinz (Alemanha, França)


“Nomadland,” de Chloe Zhao (EUA)


FORA DE COMPETIÇÃO – FICÇÃO


“Lacci,” de Daniele Luchetti (Itália) – Filme de Abertura


“Lasciami Andare,” Stefano Mordini (Itália) Filme de Encerramento


“Mandibules,” de Quentin Dupieux (França, Bélgica)


“Love After Love,” de Ann Hui (China)


“Assandira,” de Salvatore Mereu (Itália)


“The Duke,” d Roger Mitchell (Reino Unido)


“Night in Paradise,” de Park Soon-Jung (Coreia do Sul)


“Mosquito State,” de Filip Jan Rymsza (Polônia)


FORA DE COMPETIÇÃO – NÃO-FICÇÃO


“Sportin’ Life,” de Abel Ferrara (Itália)


“Crazy, Not Insane,” de Alex Gibney (EUA)


“Greta,” de Nathan Grossman (Suécia)


“Salvatore – Shoemaker of Dreams,” de Luca Guadagnino (Itália)


“Final Account,” de Luke Holland (Reino Unido)


“La Verità Su La Dolce Vita,” de Giuseppe Pedersoli (Itália)


“Molecole,” de Daniele Segre (Itália) Pré-abertura


“Narciso Em Ferias,” de Renato Terra, Ricardo Calil (Brasil)


“Paolo Conte, Via Con Me,” de Giorgio Verdelli (Itália)


“Hopper/Welles,” de Orson Welles (EUA)


“City Hall,” de Frederick Wiseman (EUA)


FORA DE COMPETIÇÃO – EXIBIÇÕES ESPECIAIS


“30 Monedas – Episode 1,” de Alex De La Iglesia (Espanha)


“Princesse Europe,” de Camille Lotteau (França)


“Omelia Contadina,” de Alice Rohrwacher, Jr (Itália)


MOSTRA ORIZZONTI


“Apples,” de Christos Nikou – Filme de abertura


“La Troisieme Guerre,” de Giovanni Aloi (França)


“Milestone,” de Ivan Ayr (Índia)


“The Wasteland,” de Ahmad Bahrami (Irã)


“The Man Who Sold His Skin,” de Kaouther Ben Hania (Tunísia, França, Alemanha, Bélgica, Suécia)


“I Predatori,” de Pietro Castellitto (Itália)


“Mainstream,” de Gia Coppola (EUA)


“Genus Pan,” de Lav Diaz (Filipinas)


“Zanka Contact,” de Ismael El Iraki (França, Marrocos, Bélgica)


“Guerra e Pace,” de Martina Parenti, Massimo D’Anolfi (Itália, Suiça)


“La Nuit Des Rois,” de Philippe Lacote (Costa do Marfim, França, Canadá)


“The Furnace,” de Roderick Mackay (Austrália)


“Careless Crime,” de Shahram Mokri (Irã)


“Gaza Mon Amour,” de Tarzan Nasser, Arab Nasser (Palestina, França, Alemanha, Portugal, Catar)


“Selva Tragica,” de Yulene Olaizola (México, França, Colômbia)


“Nowhere Special,” de Uberto Pasolini (Itália, Romênia, EUA)


“Listen,” de Ana Rocha De Sousa (Reino Unido, Portugal)


“The Best is Yet to Come,” de Wang Jing (China)


“Yellow Cat,” de Adilkhan Yerzhanov (Casaquistão, França)


“Notturno,” de Gianfranco Rosi (Itália, França, Alemanha)


“Never Gonna Snow Again,” de Malgorzata Szumowska e Michal Englert (Pol}onia, Alemanha)


“And Tomorrow The Entire World,” de Julia Von Heinz (Alemanha, França)


 


“Quo Vadis, Aida?,” de Jasmila Zbanic (Bósnia e Herzegovina, Áustria, Romênia, Holanda, Alemanha, Polônia, França e Noruega.


 


Por Isabella Thebas

voltar